A importância de fazer parte: algumas dicas para envolver
mais os alunos nas atividades

Mostrar aos alunos seu valor para o processo de ensino, incentivar a colaboração e estabelecer vínculos são iniciativas que motivam as turmas e estimulam seu comprometimento com o aprendizado.

Seja na educação online ou na presencial, sabemos o quanto tem sido cada vez mais desafiador envolver os alunos de forma ativa nas atividades propostas em aula. Ao mesmo tempo, sabemos que o aprendizado é proporcional à motivação: aprendemos de forma muito mais rápida e com melhor qualidade quando nos sentimos motivados.

Ao longo de minha trajetória como educadora de crianças, de adultos e, principalmente, como formadora de professores, tenho percebido que quanto mais conseguimos mostrar a importância de cada membro no grupo, mais alcançamos o sucesso.

Melhor: economizamos trabalho, uma vez que os alunos descobrem o quanto podem aprender uns com os outros. “Ninguém educa ninguém, ninguém educa a si mesmo, os homens se educam entre si, mediatizados pelo mundo”, já dizia Paulo Freire.

Nesse contexto, fica evidente que algumas práticas tradicionais – como as que buscam punir os alunos, classificando-os por meio de notas ou advertências – não surtem o mesmo efeito que tinham antigamente… Por esta razão, este post é um pouco diferente.

Ao mesmo tempo que gostaria de compartilhar o que tem dado certo comigo, também gostaria de aproveitar o espaço de discussão que temos aqui e no Facebook para conhecermos outras estratégias de educadores. Poderemos agregá-las a este post e aprimorarmos juntos o nosso trabalho. Vamos lá:

  • Mostrar aos alunos o quanto eles são importantes para o processo de ensino

Sempre procure lembrá-los da importância de colaborar com a aula, seja com conteúdo extra, críticas ou dúvidas – lembre-se também de pontuar o quanto estas colaborações ajudam o grupo a aprender. Ao organizar atividades coletivas, cada aluno precisa assumir uma função importante e reconhecida por todos os integrantes. E, quando ele demonstra um conhecimento ou experiência diferenciada, também precisa ser convidado a colaborar com os outros membros da turma.

  • Demonstrar o prazer que é para você ser o professor ou tutor da turma

Demonstre aos alunos que você também aprende constantemente e o quanto é prazeroso interagir com o grupo. Claro que isso só é possível de ser feito se realmente gostamos do que fazemos, o que torna o gesto bastante natural, além de muito significativo para eles.

  • Relembrar sempre os benefícios das aulas e a relevância do que os alunos aprendem

Há muitas coisas que aprendemos ou ensinamos na escola e nem sabemos para que servem. Isto geralmente desmotiva muito os alunos. Mais do que nos preocuparmos com o conteúdo, é preciso constantemente provocar situações em que realmente precisem utilizar o que é ensinado na escola, para compreenderem a sua importância.

  • Incentivar a colaboração entre os alunos

Mostre aos alunos que eles podem aprender e colaborar com os colegas do grupo o tempo todo. Nem sempre o professor tem disponibilidade e capacidade de atender a todos, mas eles próprios podem aprender mais se conseguirem ajudar uns aos outros. Para tanto, a própria organização da sala de aula precisa mudar. O professor não precisa ser o foco e não deve ser o único a responder a todas as dúvidas.

As tecnologias digitais podem facilitar bastante esse processo. Uma sugestão é criar espaços online para discussão de conteúdos, de modo que todos possam contribuir. Quanto mais avançarmos nesse sentido, mais conseguiremos garantir o desenvolvimento de maior autonomia no grupo. Os educandos saberão como aprender em rede até mesmo após a conclusão dos estudos.

  • Identificar características positivas em cada um de seus alunos

Observe com atenção as interações de seus alunos e o desempenho deles nas atividades. Procure identificar ações, características positivas, e não se esqueça de parabenizá-los. Quando incentivados desta forma, muitos se tornam colaboradores ainda mais ativos.

  • Estabelecer um vínculo com os alunos e entre os alunos

Para além das tarefas do curso, é sempre bom mostrar que se importa com os alunos e que os compreende. Vale a pena organizar um cantinho na sala para que eles se manifestem com dúvidas ou opiniões sobre a aula. Se necessário, crie meios para que se manifestem de forma anônima – o importante é que não se sintam intimidados.

Por meio das tecnologias digitais, principalmente quando contamos apenas com o ensino a distancia, vale a pena criar um fórum para que os alunos possam discutir outros assuntos além do curso. Costumo abrir uma pasta com o nome de “hora do lanche” e deixar que usem a brecha para falar sobre o que quiserem, fazer amigos, trocar contatos ou mesmo contar as novidades.

  • Demonstrar que você compreende possíveis dificuldades e que está disposto(a) a ajudar

Quando um aluno deixa de participar de uma atividade ou acessar um curso, o ideal é tentar compreendê-lo para solucionar o problema, ao invés de simplesmente cobrá-lo. Tente identificar o problema encontrado, mostre que quer ajudá-lo e discuta estratégias. A relação de confiança é fundamental.

  • Ajudar os alunos na organização

Esse geralmente é um grande desafio. Muitas vezes os alunos mal conseguem listar as atividades que precisam desenvolver e acabam perdidos durante todo o ano letivo. Acontece que alguns nunca tiveram realmente a oportunidade de aprender a organizar-se e precisam de ajuda.

Se você perceber que um aluno está muito atrasado, planeje com ele um novo cronograma. Verifique quantas horas ou dias ele poderá se dedicar às atividades atrasadas e em quanto tempo conseguirá terminar o plano de aulas, caso cumpra a sua meta. Se ele perceber que ajudou a elaborar o cronograma, saberá que será possível cumpri-lo. Às vezes alguns alunos desistem por não saberem nem mesmo organizar o tempo – nesses casos, o apoio do professor é fundamental.

  • Utilizar exemplos de sucesso

É muito importante que os alunos conheçam histórias de sucesso envolvendo superação e resgatem as suas próprias experiências semelhantes. Vale a pena conversar de tempos em tempos sobre algo muito difícil que conseguiram aprender, um livro que inicialmente não queriam ler e depois passaram a gostar ou outros desafios vencidos.

E você? O que tem feito na sala de aula e percebe que traz bons resultados? E o que percebe que deve ser evitado? Compartilhe conosco para que possamos enriquecer o debate!

7 Comentários

  1. Maria Helena disse:
    Em 24/07/2011 às 22:32

    Olá Mary! Muito interessante as suas propostas, usarei no replanejamento com os professores. Para incentivar e motivar os professores que fazem atividades diversificadas e aulas motivadoras, elaborei uma apresentação no Movie Maker com as i imagens das atividades desenvolvidas com os alunos incentivando e motivando os demais. Um abraço.

    • Mary Grace disse:
      Em 25/07/2011 às 07:43

      Oi Maria Helena, partir de bons exemplos é sempre muito importante e traz um pouco mais de esperança. Todos passam a ver que realmente é possível fazer algo diferente, tanto professores como alunos.
      Geralmente nos preocupamos tanto com os conteúdos e com o que é cobrado do currículo e esquecemos que a estratégia pedagógica é o mais importante… contribuir para que o aluno “queira aprender”é sempre mais importante…
      grata

  2. Rosana Sales disse:
    Em 24/07/2011 às 23:09

    Uma escuta e olhares mais atentos são fundamentais na relação professor-aluno . Quantos sinais de que algo está errado deixamos passar, porque não paramos para observar/ouvir os nossos jovens em momentos de aprendizagem? É importante para estabelecermos vínculos, termos uma escuta e olhares mais apurados e sensíveis em nossas salas de aula.

    • Mary Grace disse:
      Em 25/07/2011 às 07:44

      Oi Rosana, sem dúvida! Como professores nosso papel de “ouvintes”também é fundamental… é com isso que conseguimos fazer um diagnóstico mais apurado, acertar o que não está bom, entender por que os alunos aprendem ou não algo e ainda trazendo mais confiança na relação professor x aluno.
      Grata

  3. Paula Rocha disse:
    Em 25/07/2011 às 08:06

    Simplesmente adorei estas dicas. Valem muito tanto para a educação presencial como online. Hoje em dia não faz mais sentido nos basearmos somente na cobrança e de fato os alunos são mesmo muito importantes e quando se sentem assim acabam ficando mais motivados.

    • Mary Grace disse:
      Em 25/07/2011 às 08:43

      Oi Paula, agradeço sua participação por aqui. Na educação online o desafio talvez seja ainda maior, pela distancia que ficamos dos alunos. Mesmo assim, temos que achar cada vez mais estratégias para engajá-los e a cobrança simplesmente não tem funcionado… o senso de responsabilidade, de pertencimento e de relevância dentro de um grande grupo com objetivos semelhantes é o que mais deve ser considerado.

  4. Ines Silva disse:
    Em 26/07/2011 às 11:44

    Maravilhosas dicas! Vou pensar mais nisso. Sem dúvida os alunos precisam saber o quanto são importantes e assim participam muito mais.

Comentar

Seu email nunca será publicado ou distribuído. Campos obrigatórios estão marcados com *

*
*

*

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>

  • Navegue por categoria

  • Colunistas

  • Tags

  • Parceiros pela educação